21/02/2024

Médica receita medicamento que não existe para tratar bebê;

         

A família de um bebê de 10 meses se revoltou com uma médica de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ao tentar comprar o medicamento que não existe no mercado, receitado pela profissional da saúde.

O pai da criança, que não quis se identificar, disse que o filho foi com a mãena UPA Central de Santos, no litoral de São Paulo, com assadura grave no bumbum e diarreia.

Após o atendimento, o homem buscou pelo medicamento em duas farmácias, mas foi informado que a pomada de loratadina não existe.

Ele disse ainda que se sente triste com a situação, que poderia se tornar algo mais grave. “É difícil julgar a médica, [talvez] não estava em um dia bom, trabalhando demais, mas devemos pensar que poderia ser algo mais grave. Ela receitou um medicamento para alergia que não existe“, relarou o pai do bebê.

A farmacêutica toxicologista Paula Carpes Victório disse que a loratadina é um anti-histamínico, ou seja, um antialérgico. Ela acredita que talvez houve um equívoco damédica que tenha o confundido com o polaramine. “Que também é um anti-histamínico tanto na apresentação creme quanto via oral“.

No entanto, a especialista ressaltou que o farmacêutico não pode modificar a prescrição. “É um medicamento até então inexistente, a gente não sabe se saiu do mercado há muitos anos, mas essa apresentação eu desconheço. Nesse caso, o farmacêutico pode ligar para o médico para se certificar do que realmente é ou não havendo essa possibilidade, recomendar que o paciente volte a falar com o médico“.

Até o momento, a Prefeitura de Santos não se manifestou sobre o ocorrido.

 

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *