04/07/2022

Exclusivo: vítimas de assalto não conseguem atendimento pelo 190 em Manaus. Áudio chocante.

Durante assalto dentro do ônibus da linha 640, a garçonete Luzimeire Morais de 27 anos pediu para o marido, o autônomo Luís Moraes (31), que estava na casa deles, para rastrear o telefone e solicitar ajuda do 190, o número de emergência da polícia militar.

Os 3 assaltantes usavam farda de uma empresa de coleta de lixo e fizeram cerca de 30 vítimas, e foram localizados por meio do aplicativo de rastreamento instalado no celular.

Mesmo com todas as informações, a ajuda do 190 não chegou. A desculpa do atendente foi de que não havia condições de fazer contato com nenhuma viatura nas ruas de Manaus.

 

“Amigo eu to lhe falando nossas condições. Não tenho como fazer contato com nenhuma viatura nesse momento”. Eu posso anotar, mas não posso fazer contato em tempo real,” destacou o atende do 190.

O esposo da vítima entrou em desespero. “Poxa se for desse jeito, não tem porque existir o 190. Eu não tô reclamando do seu atendimento, você está me explicando com educação. Eu tô reclamando do serviço que não pode ser oferecido num momento de real emergência,” desabafou o autônomo Luís Moraes.

Ouça o áudio:

A situação se agravou com a tentativa de localizar uma delegacia aberta depois das 23h. Luzimeire conta que após a orientação, procurou várias delegacias e todas estavam fechadas. Na manhã do sábado, a reportagem foi com o casal até o 13º Dip no bairro Cidade de Deus, que estava fechado e na delegacia da mulher que fica ao lado, que estava sem sistema.

Sem acesso ao computador, o casal ficou várias horas sem poder fazer o boletim de ocorrência até que o sistema da polícia civil normalizasse.

Uma situação surreal, que vai de encontro a tudo que foi exposto nos últimos dias sobre a segurança pública do Amazonas.

Em nota, “o Secretário do órgão e Vice-governador, Bosco Saraiva, lamenta o ocorrido durante o atendimento e informa que este não é o procedimento protocolar a ser seguido no serviço 190. As gravações do cidadão trazem uma contribuição fundamental para a melhoria do sistema que será implementado pelo governador Amazonino Mendes. Medidas urgentes já estão sendo tomadas para que o atendimento aos cidadãos, através do 190, cumpra integralmente a sua missão de suprir as necessidades emergenciais da população e orientar o trabalho policial no combate ao crime. A direção do CIOPS e a Corregedoria-Geral da Segurança Pública foram acionadas para apurar o caso. Comprovando-se desídia por parte do atendente e da supervisora, todas as medidas legais cabíveis serão tomadas. É importante ressaltar que qualquer queixa de desvio de conduta por servidores da segurança pública, no exercício de sua função, devem ser feitas na diretamente na Corregedoria, que fica na sede da SSP, no shopping VIA NORTE, no Nova Cidade. É importante ressaltar que a identidade do denunciante é preservada. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 3652-2000”.

Vítima e seu esposo tentando fazer o boletim de ocorrência na Cidade de Deus depois de não conseguir ajuda no 190.

 

 

Nenhum comentário

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.