02/07/2022

Custo Político: PF ouviu três pessoas nesta quinta-feira. Afonso Lobo prometeu, mas ainda não se entregou.

O colunista social e jornalista Waisser Botelho foi um dos que voltaram a sede da Polícia Federal nesta quinta-feira, 14, para prestar esclarecimentos ao delegado, Alexandre Teixeira, coordenador da operação Custo Politico, que investiga o pagamento de propina a ex-secretários de saúde e outros funcionários públicos do Estado.

Waisser Botelho ladeado por dois advogados na saída da PF.

Waisser Botelho, o segundo na foto, saiu escoltado por dois advogados na saída da PF.

Também foram ouvidos, Matheus Elias, filho do ex-secretário de saúde na gestão José Melo, Pedro Elias, e um funcionário de Mouhamad Mustafa, de nome Dilson.

“Essas pessoas tiveram expedidos contra si, mandados de condução coercitiva, visando preservar a qualidade dos depoimentos,”destacou o delegado da Policia Federal Alexandre Teixeira.

Outro depoimento aguardado e que não se confirmou até o fim da reportagem foi o do ex-secretário da fazenda Afonso Lobo. “Havia a promessa dos advogados dele, de que ele se entregaria no dia de hoje, mas até agora isso não aconteceu e ele continua sendo considerado foragido,” confirmou o delegado.

O delegado confirmou a apreensão de 16 veículos que estão na sede da Polícia Federal e bloqueio de R$ 67 milhões que estavam nas contas dos envolvidos para ressarcimento dos cofres públicos.

Nenhum comentário

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.