04/07/2022

Revoltante: Criança era abusada por 4 funcionários da casa da avó.

A equipe da Depca prende quatro homens em cumprimento de mandados de prisão por estupro de vulnerável.

A equipe de investigação da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), sob o comando da delegada Juliana Tuma, titular da especializada, cumpriu na tarde de quinta-feira, dia 26, quatro mandados de prisão temporária por estupro de vulnerável e quatro mandados de busca e apreensão, que resultou nas prisões de um mecânico de 57 anos; um pintor de 58 anos; um jardineiro de 51 anos, e de um vigilante de 48 anos.

De acordo com a autoridade policial, o jardineiro e o vigilante foram presos pela equipe da Depca em uma residências na qual prestavam serviços, situada no bairro Ponta Negra, zona Oeste da capital. Já o mecânico foi interceptado na casa onde morava, no bairro Nova Cidade, zona Norte. O pintor foi encontrado pelas equipes na residência dele, no bairro Aleixo, zona Centro-Sul da capital.

Conforme Juliana Tuma, a vítima, uma criança de oito anos, sofria abusos sexuais por parte dos quatro infratores há cerca de um ano. Os abusos ocorriam na casa da avó da criança, localizada em um condomínio residencial no bairro Ponta Negra. A titular da Depca ressaltou que as investigações começaram no início de setembro deste ano, após a mãe da vítima formalizar um Boletim de Ocorrência (BO), na delegacia.

“O fato de essa menina estar em condição de vulnerabilidade e tendo sua inocência roubada precocemente, não dá o direito aos suspeitos de se aproveitarem da vítima e, ainda, não terem a consideração de enxergar ali uma criança. Vale ressaltar que essa criança já vinha de uma situação de abuso, mas isso não justifica que uma pessoa se aproveite da sua condição frágil”, declarou Tuma.

Segundo a titular da Depca, foram representados cinco mandados de prisão temporária e cinco de busca e apreensão, sendo que apenas quatro foram cumpridos. As ordens judiciais foram expedidas no dia 29 de setembro deste ano, pela juíza Patrícia Chacon Oliveira Loureiro, da Vara Especializada em Crimes contra a Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes.

“Durante as diligências, foram apreendidos os aparelhos celulares dos infratores, pois a criança relatou na delegacia que os suspeitos mostravam vídeos pornográficos a ela e, também, fotografavam as partes íntimas dela. Um dos presos afirmou para equipe que realmente fazia fotos da vítima devido ela mesma pedir para ele”, disse Juliana Tuma.

Os quatro infratores foram indiciados por estupro de vulnerável. Ao término dos procedimentos cabíveis na Depca, os quatro infratores serão levados para ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irão permanecer à disposição da Justiça.

Nenhum comentário

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.