20/04/2024

Picanha e Rivotril: o que sabemos sobre o cartão corporativo de Bolsonaro…

         

Foto : Senado Federal

As notas fiscais relativas aos gastos do cartão corporativo do ex-presidente Jair Bolsonaro foram divulgadas ontem.

Entre as novidades, está o detalhamento de quais alimentos e remédios foram comprados com o cartão. As revelações são uma resposta a um pedido de informação feito pela agência de dados Fiquem Sabendo, especializada em LAI (Lei de Acesso à Informação).

Há duas semanas, as planilhas dos gastos do cartão corporativo de Bolsonaro se tornaram públicas, mas as notas fiscais, com o descritivo do que foi comprado, ainda não estavam disponíveis.

No início do ano, a Secretaria-Geral da Presidência divulgou que o ex-presidente gastou pelo menos R$ 27,6 milhões entre 2019 e 202 no seu cartão corporativo. Segundo o Portal da Transparência, no entanto, as despesas totais ultrapassam R$ 75 milhões —quase o triplo do valor inicial.

Entre os destaques, estão os gastos com hospedagem, a maior fatia do que foi comprado com o cartão.

  • No total, foram R$ 13,7 milhões com hotéis
  • Somente no Ferraretto Hotel, no Guarujá, cidade do litoral paulista, foi pago R$ 1,4 milhão

Na alimentação, outra parcela significativa nos gastos gerais do cartão — R$ 10,2 milhões —, se destacam:

  • Os R$ 8.600 gastos em sorveterias.
  • Cerca de R$ 408 mil em peixarias.
  • Em padarias, Bolsonaro gastou R$ 581 mil ao longo do mandato.

Agora, com o detalhamento das notas fiscais, é possível saber que:

  • 14 notas fiscais foram de compras de picanha, com uma delas chegando ao valor de R$ 3.202,06.
  • Foram detalhados gastos com caviar, filé mignon, camarão, leite condensado e nutella.
  • Houve compra de medicamentos, como Rivotril — usado contra depressão e ansiedade –, antibióticos e remédios para tratamento de úlceras gastrointestinais.
  • Houve ainda gastos com combustíveis para os veículos que participavam das motociatas que o ex-presidente organizou ao longo do mandato, segundo a Fiquem Sabendo.
  • Bolsonaro ainda pagou a hospedagem do filho Carlos com o cartão. O valor desembolsado foi de R$ 2,3 mil em maio de 2021. Veja outros detalhes no portal Uol.

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *