17/07/2024

HPS 28 de Agosto encerra 2ª fase do Projeto Lean nas Emergências

         

Em parceria com o Hospital Sírio Libanês, o projeto apresentou redução no tempo de espera e aumento de cirurgias

O Hospital e Pronto Socorro (HPS) 28 de Agosto, unidade da Secretaria de Saúde do Estado (SES-AM), encerrou esta semana a 2ª fase do projeto Lean nas Emergências, uma ferramenta do Ministério da Saúde, implementada em parceria com o Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo. A fase teve duração de seis meses e contou com visitas quinzenais de uma dupla de profissionais do hospital paulista, que trabalhou junto à equipe do HPS 28 e identificou oportunidades para implementar ações de melhorias na unidade de saúde.

Conforme a diretora do HPS 28 de Agosto, Júlia Marques, a unidade conseguiu atingir bons resultados com a melhoria e mais celeridade nos casos variados que chegam ao hospital.

“Essa segunda fase do Lean nas Emergências veio para solidificar a primeira fase e a gente conseguiu mostrar dados excelentes. Reduzimos números no centro cirúrgico, aumentamos a quantidade de cirurgias, reduzimos o tempo entre as cirurgias, aumentamos o número de altas e diminuímos o tempo de permanência dos pacientes, esses são números que apresentamos agora e que comprovaram o trabalho durante esses seis meses. Vamos continuar nessa rotina para apresentar resultados cada vez melhores”, ressaltou a diretora.

Alguns dos resultados obtidos desde a implantação do Lean nas Emergências no HPS 28 de Agosto foram destacados pelo médico consultor do Sírio Libanês, Gutemberg Lavoisier, que resultam em melhorias para os pacientes em geral.

“Muito trabalho dessa turma excepcional, conseguimos muita coisa como; uma redução no tempo de permanência em 50% de internações cirúrgicas, isso corresponde a 2.500 leitos a mais por ano. Uma redução de 80% das cirurgias sem previsão, e que agora tem previsão, ou seja, mais segurança, menos cancelamento, mais comodidade para as pessoas. Conseguimos uma redução do cancelamento em cirurgia em metade do tempo e redução do atraso da primeira cirurgia e do tempo de troca da sala, isso equivale a mais de cinco mil minutos por ano. Isso não é um projeto para o hospital, é para o estado, para a cidade, para a comunidade. E isso são números iniciais de locais pontuais de trabalho, no geral, a gente tem outros ganhos”, explica Lavoisier.

O Lean nas Emergências teve os resultados avaliados pela primeira vez no HPS 28 de Agosto, em 2020. O tempo de atendimento do paciente sem internação, que antes esperava 402 minutos (cerca de 6 horas 7 minutos) para ser atendido, baixou para 91 minutos (cerca de 1 hora e 31 minutos), além do tempo médio de permanência no hospital, que antes era de 10 dias e, após o projeto, passou a ser de 3 dias.

Possibilitou, ainda, revisar todos os processos do hospital e trabalhar com ferramentas como o 5s, que organiza os setores, observando e eliminando os excessos, desperdícios e perdas de materiais e medicamentos. Além disso, outra ferramenta importante na segunda fase foi a Kamishibai que aumenta o giro de leito, favorecendo que a unidade funcione mais rápido, possibilitando que a equipe consiga atender os pacientes do Pronto Socorro e do Centro Cirúrgico com mais agilidade.

 

 

Fonte: SES-AM

Foto: Divulgação

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *