29/10/2020

Coveiros reclamam da falta de EPI’s para enterrar vítimas de Coronavírus nos maiores cemitérios de Manaus

Nesta segunda-feira (13), percorremos dois dos principais cemitérios de Manaus, o Nossa Senhora Aparecida, no Tarumã e o São João Batista, no Boulevard.

Acompanhamos vários enterremos inclusive de vítimas de Coronavírus e em nenhum deles os coveiros utilizavam os equipamentos de proteção individual (EPI’s). Um deles destacou à reportagem que tem medo de contrair a doença, mas que acaba se submetendo para não perder o emprego.

“Nós não temos máscaras e nem o mínimo necessário para fazer nosso trabalho. Em casa minha família está apreensiva, mas eu nem falo nada para que não fiquem ainda mais preocupados”, destacou o coveiro que trabalha no cemitério Nossa Senhora Aparecida e preferiu não ter o nome revelado.

No cemitério São João Batista, a situação é semelhante. Um dos coveiros comprou luva e máscara e improvisou um macacão com um saco de lixo. Os colegas trabalham como podem, apenas com máscara. Na administração a responsável confirma que os EPIs acabaram e até aquele momento não havia sido reposto pela prefeitura.De fundo apenas os funcionários da funerária com o traje correto.

Em nota, a prefeitura de Manaus informou que os agentes de sepultamento receberam todos os EPIS necessários, conforme normas sanitárias estabelecidas pelo Ministério da Saúde e que uma nova remessa foi destinada nesta segunda-feira (13).

Nenhum comentário

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *