28/05/2024

Abacaxi de Novo Remanso é destaque no 1º Workshop de Indicação Geográfica e Marcas Coletivas do Amazonas

         

No evento, o Idam e o Ipaam pontuaram a importância do Selo de (IG) e o trabalhado desenvolvido para a produção da fruta na região

O abacaxi produzido no Novo Remanso, em Itacoatiara (a 176 quilômetros da capital), foi destaque durante o 1º Workshop de Indicação Geográfica (IG) e Marcas Coletivas do Amazonas, na Unidade Demonstrativa (UD) do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), instalada na Fazenda Santa Eliza. Durante a atividade, o Idam e o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) reforçaram a importância da cultura na região, considerada centro de produção da fruta no país.

Durante a programação do Workshop, o Fórum Origens Amazonas, no qual o Idam ocupa a cadeira de Secretaria Executiva, realizou uma visita guiada na Unidade Demonstrativa do Abacaxi, em Novo Remanso, no último sábado (11/05), com a presença dos diretores-presidentes do Idam, Vanderlei Alvino, e do Ipaam, Juliano Valente, e da superintendente do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), Dionísia Campos.

A atividade permitiu que os convidados tivessem contato com os produtores do fruto e participassem da colheita e degustação do produto. A ação foi realizada em parceria com a Associação de Produtores de Abacaxi de Novo Remanso (Encarem), que conta com produtores rurais do Engenho, Novo Remanso e São Francisco de Caramuri, na tríplice divisa dos municípios de Itacoatiara, Rio Preto da Eva e Manaus.

“Todos os dias, buscamos trabalhar para que as políticas públicas do estado cheguem no campo, beneficiem os agricultores familiares e as associações, com capacitação, como é o caso da nossa UD) de Abacaxi, no Novo Remanso, que dissemina conhecimento, boas práticas no cultivo, novas tecnologias e fomenta uma produção diferenciada, e com Selo de Indicação Geográfica”, pontuou Alvino.
Já o diretor-presidente do Ipaam, Juliano Valente, também pontuou o compromisso do órgão com a produção, por meio de práticas sustentáveis. Para isso, ele alertou o público presente sobre a importância da Licença de Operação para as atividades ligadas à produção do abacaxi, obtida por meio do Instituto. “Também temos a responsabilidade de proporcionar melhores condições do escoamento da fruta, com ramais pavimentados devidamente licenciados do ponto de vista legal ambiental”, disse.

Abacaxi diferenciado e o apoio do Idam

O abacaxi do Novo Remanso, que tem Selo de Indicação Geográfica na categoria Indicação de Procedência, é reconhecido nacionalmente pelo sabor adocicado, baixa acidez e qualidade no processo de produção. O selo garante a rastreabilidade do produto pelo consumidor e beneficia os agricultores com maior valor de mercado devido a garantia da qualidade.

O agricultor Daniel Leandro da Silva é um dos beneficiados pelo Selo de Indicação Geográfica do abacaxi de Novo Remanso, que atribuiu um valor de mercado diferenciado ao produto. Ele enfatiza que alcançar esse status as ações de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) desenvolvidas pelo Idam na região são primordiais para a cadeia produtiva.

“A importância do trabalho do Idam na nossa região é fundamental. Foi por meio da Ater que conseguimos a emancipação da rastreabilidade que garante ao produto regional a agregação de valor e, por meio disso, o agricultor é beneficiado nas diversas áreas dentro do sistema de produção, seja ele social ou econômico”, finalizou o produtor.

 

Fonte: Idam

Foto: Divulgação

 

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *