21/05/2024

MPE pede cassação de Silas Câmara por supostas irregularidades na eleição

         

Imagem- Republicanos

A procuradora eleitoral do MPE (Ministério Público Eleitoral) Lígia Cireno Teobaldo pediu a cassação do diploma do deputado federal reeleito Silas Câmara (Republicanos). A representação por captação ou gasto ilícito de recursos em campanha eleitoral tem como motivação inconsistência nas informações de voos fretados que constam na prestação de contas.

A procuradora Lígia Cireno considera que os fatos representam “gravidade bastante para a cassação do diploma”. Silas Câmara foi diplomado dia 12 de dezembro e terá cinco dias para apresentar defesa.

Os técnicos do TRE-AM (Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas) recomendaram a aprovação das contas eleitorais com ressalvas. Porém, o plenário do Tribunal desaprovou o relatório.

Chamou atenção do MPE, segundo Lígia Cireno, gastos com fretamento de aeronaves e a forma de utilização. Silas apresentou gastos de R$ 396,5 mil com aluguel de aviões e informou fretamento com rota para o Acre. Em outro aluguel, um dos passageiros foi seu irmão Dan Câmara, do PSC. Outro trecho apresenta passageiros de colo (crianças) na lista informada.

A procurada questiona “por qual razão o candidato fretaria um avião para levar diversas pessoas sem vínculo com a campanha, inclusive crianças de colo, para outro Estado da Federação, em uma viagem de ida e volta, com curtas paradas?”.

Notificado a se defender, Silas Câmara “se limitou a afirmar que se tratava de ‘candidato integrante da mesma coligação’, justificativa que não pode ser aceita, tendo em vista que a formação de coligações é restrita à eleição majoritária”.

LEIA MAIS AQUI (SITE AMAZONAS ATUAL)

 

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *