01/07/2022

Homem preso injustamente por estupro tenta recomeçar, mas ameaças de agressão não deixam.

Os momentos de terror Francimar Videira (42) afirma que já mais vai esquecer.

Ficou preso por quatro dias acusado de estupro de uma criança de 12 anos.

Teve a vida revirada, carro destruído e por pouco não foi violentado no centro de detenção provisória masculino. “Os presos chegaram a ensaiar violência contra ele quando o assunto saiu na imprensa. Pegaram um pedaço de vassoura e tudo, mas alguém lá dentro do presídio, acreditou no Francimar e essa agressão não foi pra frente”, afirmou o advogado da vítima André Duarte.

Após a criança confessar que mentiu em depoimento, houve uma reviravolta no caso.

“Infelizmente a justiça deixa brechas para esse tipo de situação, ou seja, se acredita apenas na palavra do acusador. Não se levou em conta o alibi, o carro que a criança disse ser preto e o carro de Francimar é verde claro, nem no depoimento dos colegas de trabalho confirmando que ele estava no batente no momento da agressão, entre outras provas desprezadas pela polícia,” afirmou o advogado.

A reportagem esteve com o cozinheiro Francimar Videira e acompanhou como anda a vida dele até o Momento. “Eu só quero recomeçar, voltar ao trabalho e estar com minha mulher e filho, mas ainda não posso porque a ameaça de agressão ainda existe. Minha vida foi exposta na mídia e as pessoas ainda pensam que a acusação é verdadeira”. destacou o cozinheiro que neste momento está escondido na casa de uma irmã no bairro São Francisco em Manaus.

Veja o depoimento:

O advogado de Francimar deve entrar ainda esta semana com uma ação de indenização por danos morais contra o Estado pela prisão indevida.

Nenhum comentário

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.